Santa Margarida Maria Alacoque, a confidente do Sagrado Coração.

A VIDA

Essa grande Santa religiosa nasceu em Verosvres (França), em 22-7-1647, e três dias depois recebeu o batismo. Ainda muito pequena, a menina Margarida Maria rezou certo dia:

Ó meu Deus, eu Vos consagro minha pureza
e Vos faço o voto de castidade perpétua.

Quando contava oito anos, devido à morte de seu pai, passou dois anos como aluna no convento das clarissas, em Charolles, e fez ali sua primeira comunhão.

Como um indício da grande vocação religiosa a que ela era chamada, é oportuno lembrar um fato de sua vida: muito devota da Santíssima Virgem, rezava todos os dias o terço de joelhos.

Mas um dia o rezou sentada. Nossa Senhora apareceu-lhe e a repreendeu:

“Estranho muito, minha filha,
que me sirvas com tanto desleixo”.

Mais tarde, quando manifestou a familiares seu desejo de ser religiosa, esses pressionaram-na para que entrasse no convento das ursulinas.

Ela respondia:

“Eu quero ir às visitandinas, em um convento bem longe,
onde não tenha nem parentes nem conhecidas, porque
não quero ser religiosa senão por amor de Deus”.

Afinal, aos 24 anos, seu desejo se cumpriu, depois de 10 anos de provações. Entrou no convento das visitandinas de Paray-le-Monial da Ordem da Visitação de Santa Maria — instituição religiosa fundada por São Francisco de Sales (1567-1622) e Santa Joana de Chantal (1572-1641).

Esse convento francês fora escolhido por Nosso Senhor para, a partir daí, mais intensamente expandir pelo mundo inteiro a devoção a seu Sacratíssimo Coração.

O Divino Redentor quis servir-se da santa religiosa visitandina para difundir universalmente a devoção. Após sua morte, em 1690, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus estendeu-me muito, não apenas na França, mas por outros países.

Ela foi canonizada em 1920, pelo papa Bento XV.

(saiba mais sobre a devoção ao Sagrado Coração de Jesus)

-